Servidor público desenvolve projeto que leva alimentos, ajuda a pagar contas de moradores e dá aulas de reforço para crianças em Goiânia – Jornal Cometa

Jornal Cometa

Servidor público desenvolve projeto que leva alimentos, ajuda a pagar contas de moradores e dá aulas de reforço para crianças em Goiânia

Servidor público desenvolve projeto que leva alimentos, ajuda a pagar contas de moradores e dá aulas de reforço para crianças em Goiânia

12 dezembro
08:35 2018

Com 12 anos de idade, Milton Costa Filho já era coordenador de um grupo que arrecadava alimentos para famílias carentes. Junto com outros integrantes da comunidade espírita, ele ajuda a mudar a vida de cerca de 100 famílias.

Por Paula Resende e Vanessa Chaves*, G1 GO

Servidor público Milton Costa Filho realiza há mais de 30 anos trabalho voluntário em Goiânia, Goiás — Foto: Arquivo pessoal/ ASA

Servidor público Milton Costa Filho realiza há mais de 30 anos trabalho voluntário em Goiânia, Goiás — Foto: Arquivo pessoal/ ASA

Há 31 anos o servidor público Milton Costa Filho, 43 anos, coordena ações para ajudar pessoas carentes de amor e financeiramente, em Goiânia. Atualmente, ele é o responsável por um grupo que doa refeições, cestas básicas e até mesmo paga contas de famílias que precisam de ajuda. O goiano ainda integra outro projeto que proporciona reforço escolar e esporte para 60 crianças.

“Todas as ações mudam as pessoas que recebem. O alimento alimenta criança, idoso, família, e o trabalho social alimenta o nosso coração, a nossa alma”, afirma Milton.

O G1 publica, a partir do aniversário de Goiânia, a série de reportagens “Você faz a diferença”, sobre pessoas e projetos que fazem da capital um lugar melhor.

A responsabilidade com o trabalho começou cedo, aos 12 anos de idade, quando Milton assumiu a coordenação de um grupo espírita que arrecadava alimentos para serem doados a famílias do Setor Vila Finsocial, também na capital. Desde então, ele participou de várias organizações, que ajudavam desde idosos a pacientes internados em hospitais de Goiânia.

Projeto ajuda famílias carente do Jardim do Cerrado III, em Goiânia — Foto: Vanessa Chaves/ G1

Projeto ajuda famílias carente do Jardim do Cerrado III, em Goiânia — Foto: Vanessa Chaves/ G1

Há três anos, amigos viram a necessidade de apoio a moradores do Jardim do Cerrado 3. Inicialmente, eles levavam 60 refeições aos sábados. “A gente começou a observar que muitos não tinham o que comer em casa e levavam o alimento que doávamos para casa, na vasilha, porque não tinham o que comer depois”, se recorda Milton.

Para ampliar a atuação na comunidade, o grupo conseguiu a doação de uma área no setor e construiu, em julho de 2016, a Unidade Social Irmão do Caminho (Usic). Durante as semana, o projeto ofere aulas de reforço escolar e de atividades físicas a crianças e adolescentes.

O estudante Diogo Fernandes, de 15 anos, está entre os 60 cadastrados no projeto. “A gente não fica muito tempo à toa na rua. Eu aprendi a jogar xadrez, dama, parte teórica de futebol, handebol e vôlei. Estou há um ano, mas já fez bastante diferença na minha vida”, conta.

Adolescentes têm aulas esportivas na sede do projeto, em Goiânia — Foto: Vanessa Chaves/ G1 Adolescentes têm aulas esportivas na sede do projeto, em Goiânia — Foto: Vanessa Chaves/ G1

Adolescentes têm aulas esportivas na sede do projeto, em Goiânia — Foto: Vanessa Chaves/ G1

Amar, Sorrir e Ajudar

Em setembro do ano passado, Milton teve a ideia de criar o projeto Amar, Sorrir e Ajudar (ASA), para complementar as atividades da Usic.

“Nenhum trabalho se faz sem amor, se faz com cara fechada. Sempre atuamos com sorriso e alegria para proporcionar ajuda material ou espiritual”, ressalta Milton.

O ASA desenvolve o Projeto Prato Cheio, que consiste na entrega de 100 cestas básicas a famílias carentes. Também há o Brechó do Bem, que arrecada dinheiro para a própria comunidade.

“A gente vende roupas para as famílias por até R$ 5 e toda a renda retorna em forma de cestas básicas, remédios, pagamentos de contas de água e de luz, transporte. Muitas famílias vêm pedir ajuda porque têm a energia e a água cortadas e não tem como pagar”, conta o voluntário.

Viúva, a dona de casa Ana Rodrigues Coelho da Silva conta que o apoio emocional faz toda a diferença nas ações do grupo.

“Falar desse pessoal, dessa casa, é falar só amor. Tudo de bom acontece nesse lugar, nessa casa que Deus nos deu”, agradece.

Projeto vende roupas por até R$ 5 e dinheiro é revertido para a própria comunidade em Goiânia, Goiás — Foto: Arquivo pessoal/ Projeto ASA

Projeto vende roupas por até R$ 5 e dinheiro é revertido para a própria comunidade em Goiânia, Goiás — Foto: Arquivo pessoal/ Projeto ASA

About Author

jornalcometa

jornalcometa

Related Articles

App Jornal Cometa