Puccinelli, filho e mais um advogado são presos pela PF em Campo Grande

Segundo a Polícia Federal, prisões têm relação com investigações sobre corrupção.

Por Ricardo Mello, Ricardo Freitas e Nadyenka Castro, TV Morena e G1 MS

Ex-governador de MS André Puccinelli em prisão anterior (Foto: Reprodução/TV Morena - arquivo) Ex-governador de MS André Puccinelli em prisão anterior (Foto: Reprodução/TV Morena - arquivo)

Ex-governador de MS André Puccinelli em prisão anterior (Foto: Reprodução/TV Morena – arquivo)

O ex-governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (MDB); o filho dele, o advogado André Puccinelli Júnior e o também advogado João Paulo Calves foram presos pela Polícia Federal (PF) na manhã desta sexta-feira (20), em Campo Grande.

De acordo com as primeiras informações da PF, as prisões tem relação com investigações sobre corrupção.

Segundo informações do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Mato Grosso do Sul, (OAB-MS), Mansour Karmouche, a Ordem acompanha as prisões dos advogados e Puccinelli Júnior abriu mão das prerrogativas da profissão dele e está junto ao pai.

Ainda conforme Mansour Karmouche, a OAB/MS acompanha a situação. “É lamentável, mas a gente não pode intervir nas negociações”, diz.

Esta não é a primeira vez que Puccinelli, o filho e João Calves são presos. Eles já tinham sido alvos da PF no decorrer da operação Lama Asfáltica.

Investigações

Os três presos e mais outras pessoas são investigadas pela PF por suposta relação com esquema de corrupção e lavagem de dinheiro quando André Puccinelli era governador de Mato Grosso do Sul.

André Puccinelli e o filho tinham sido presos poucos meses antes da denúncia, em novembro de 2017, durante a 5ª fase da operação Lama Asfáltica, chamada de Papiros de Lama, que apura corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo a empresa de cursos jurídicos do advogado Puccinelli Júnior. Eles foram soltos por determinação judicial.

Em janeiro de 2018, a PF indiciou 25 pessoas por lavagem de dinheiro, entre as quais o ex-governador André Puccinelli, o filho dele e a ex-secretária de Educação, Maria Nilene Badeca da Costa. O indiciamento foi relacionado às investigações da Papiros de Lama.