Ministério Público denuncia advogado que prometia ‘limpar nome sujo de clientes’, no DF – Jornal Cometa

Jornal Cometa

Ministério Público denuncia advogado que prometia ‘limpar nome sujo de clientes’, no DF

Ministério Público denuncia advogado que prometia ‘limpar nome sujo de clientes’, no DF

17 abril
09:56 2019

Ele teria usado informações falsas para tentar enganar Justiça. G1 não conseguiu contato com suspeito.

Por Pedro Alves, G1 DF

17/04/2019 05h18 Atualizado há 3 horas

Fachada da sede do Ministério Público do Distrito Federal — Foto: Gabriel Luiz/G1

Fachada da sede do Ministério Público do Distrito Federal — Foto: Gabriel Luiz/G1

O Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT) apresentou denúncia contra o advogado Felipe Luiz Alencar Vilarouca, de 28 anos, pelos crimes de estelionato e falsificação de documento particular.

Segundo as investigações, o defensor prometia retirar o nome de devedores dos serviços de proteção ao crédito, como SPC e Serasa. Além disso, fornecia informações falsas para enganar a Justiça. O G1 tentou contato com o advogado, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

A denúncia do MP afirma que o Felipe Vilarouca usava as redes sociais para atrair clientes. A eles, prometia ser capaz de “limpar” o nome sujo e ainda dizia que poderiam receber uma indenização de R$ 10 mil por danos morais. Para isso, os interessados deveriam repassar 50% do valor recebido para o advogado.

Trecho de denúncia do MP contra o advogado Felipe Vilarouca. — Foto: ReproduçãoTrecho de denúncia do MP contra o advogado Felipe Vilarouca. — Foto: Reprodução

Ao todo, dez pessoas ajuizaram ações do tipo com o advogado, o que renderia a ele lucro de R$ 50 mil. Todas elas eram devedoras e não tinham cumprido com pagamentos, por isso estavam com o “nome sujo”.

Os pedidos foram distribuídos ao Segundo Juizado Especial Cível e Criminal de Santa Maria. Nas ações, de acordo com a denúncia do MP, o advogado mentia e alegava que a inscrição dos clientes em serviços de proteção de crédito era indevida e, por isso, eles deveriam receber indenizações.

“Com efeito, a despeito de as inscrições serem legítimas, na medida em que as vítimas, de fato, não haviam adimplido suas obrigações relativas aos negócios jurídicos firmados com as empresas, o denunciado, em posse de procurações e documentos pessoais dos devedores, ajuizou ações expondo fatos inverídicos”, diz denúncia do MP.

Ainda segundo o documento, “o denunciado, mediante ardil, pretendia usar o Poder Judiciário como meio para obter vantagem ilícita, em acordos que poderiam ser celebrados com as empresas requeridas nas audiências de conciliação, sem o crivo de um juiz de direito”.

Antes de que os casos pudessem ser analisados, no entanto, a fraude foi descoberta e o advogado, junto com os clientes, foi condenado a pagar multa.

Falsificação

Segundo o Ministério Público, em outros dois casos, Vilarouca entrou com ações judiciais similares utilizando o nome de pessoas que nunca haviam solicitado os serviços dele. O advogado teria falsificado comprovantes de residência, procurações e contratos para simular a vontade das vítimas.

Antes que pudessem ser julgados, no entanto, os casos também foram dispensados pela Justiça. Um a pedido do próprio advogado e outro por questões processuais.

A denúncia foi apresentada em março e aceita pela Justiça. O caso tramita na Segunda Vara Criminal de Santa Maria. As penas para os crimes de estelionato e falsificação de documento particular vão de um a cinco anos de reclusão.

OAB-DF

Felipe Luiz Alencar Vilarouca nasceu em Cuiabá (MT). No site de seu escritório, ele afirma que atua em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Amazonas e no Distrito Federal. O G1 tentou contato com ele em telefones de Brasília e de Mato Grosso, mas não obteve resposta.

Além da ação criminal na Justiça do DF, Vilarouca responde a um processo no Tribunal de Ética da subseção de Brasília da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF).

Segundo a entidade, o processo é sigiloso. No último dia 11, a OAB-DF deu prazo de 15 dias para que o advogado apresente suas razões finais no processo.

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

About Author

jornalcometa

jornalcometa

Related Articles

App Jornal Cometa