Jovem é sequestrada, estuprada e morta em Águas Lindas de Goiás – Jornal Cometa

Jornal Cometa

Jovem é sequestrada, estuprada e morta em Águas Lindas de Goiás

Jovem é sequestrada, estuprada e morta em Águas Lindas de Goiás

08 março
08:14 2019

Por Rodrigo Gonçalves, G1 GO

Rafaela Martins Cardoso, 18 anos, foi sequestrada em um ponto de ônibus, estuprada e morta em Águas Lindas de Goiás — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Rafaela Martins Cardoso, 18 anos, foi sequestrada em um ponto de ônibus, estuprada e morta em Águas Lindas de Goiás — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Uma jovem de 18 anos foi sequestrada, estuprada, morta enforcada e jogada dentro de uma cisterna em uma chácara de Águas Lindas de Goiás, no entorno do Distrito Federal. Rafaela Martins Cardoso estava em um ponto de ônibus na madrugada desta quarta-feira (6), quando quatro homens a colocaram à força em um veículo, de acordo com a Polícia Civil.

Um suspeito de participar do crime foi preso nesta quinta-feira (7). Segundo a corporação, Felipe Coelho Nascimento, 18 anos, nega que tenha participado do estupro e assassinato, mas confessa o envolvimento no sequestro. O G1 não conseguiu localizar a defesa dele.

A vítima foi achada na zona rural do município, com uma mangueira enrolada no pescoço, mas, segundo o delegado Danilo Victor Nunes de Souza, um cadarço também foi usado para o enforcamento.

A mãe da menina foi quem procurou a polícia e disse que a filha tinha desaparecido após sair de uma festa no município com o namorado.

De acordo com o registro policial, a mãe entrou em contato com o rapaz, que informou o ponto onde tinha deixado a garota. Ela seguiria para a casa, por volta das 3h. A mãe foi então até a parada do ônibus e achou os óculos de grau da menina quebrados.

Câmera de um comércio perto do ponto de ônibus ajudou polícia a chegar até veículo usado no crime — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Câmera de um comércio perto do ponto de ônibus ajudou polícia a chegar até veículo usado no crime — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Investigação

De acordo com a polícia, a mãe da vítima conseguiu imagens do sistema de câmeras de um comércio perto do ponto. A gravação mostra o momento em que o veículo para e a garota é colocada à força dentro dele.

O caso inicialmente foi tratado como desaparecimento, mas, segundo o delegado, com a imagem e levantamentos de testemunhas, foi possível chegar até um Escort prata utilizado no crime.

“Tanto a PM quanto a Polícia Civil tiveram acesso à filmagem que mostra os suspeitos colocando ela dentro do carro”, disse o delegado Danilo Victor.

Ainda segundo ele, a PM recebeu uma denúncia de que havia um veículo com as mesmas características no Setor Santa Lúcia, em Águas Lindas, e foi até o local. Lá o suspeito foi localizado.

“Ele foi questionado pela PM, e após revista no carro foram localizados objetos da vítima, inclusive o celular dela. O suspeito não teve outra saída a não ser confessar que participou do sequestro. O suspeito apontou o local para onde a jovem tinha sido levada”, contou Danilo.

Os militares seguiram até uma primeira chácara na zona rural, que pertence a um dos envolvidos no crime. Chegando lá, os policiais chegaram a ver um segundo suspeito fugindo.

“Um caseiro contou aos militares que os suspeitos chegaram na casa com a menina amarrada, mas que logo depois levaram ela para outra chácara”, informou o delegado, completando que vai ouvir o caseiro para saber o motivo de ele não ter acionado a PM.

“No outro lugar indicado, Felipe contou que eles tinham jogado a vítima dentro da cisterna, onde os policiais a acharam de cabeça para baixo e com a parte cima sem roupa”, contou Danilo.

Outros suspeitos já identificados

De acordo com Danilo, O suspeito apontou os demais envolvidos, que já foram identificados. “Estamos mantendo o nome deles em sigilo, mas sabemos que alguns já têm passagem na polícia, um inclusive chegou a ficar preso em Santo Antônio do Descoberto”, disse o delegado.

“Enquanto as buscas não cessarem, eles ainda podem ser presos em flagrante. Se até esta sexta não conseguirmos localizá-los, vou solicitar prisões preventivas”, finalizou.

O caso deve seguir para o Grupo de Investigações de Homicídios (GPI) de Águas Lindas de Goiás, por estar sendo apurado como estupro seguido de latrocínio.

Veja outras notícias da região no G1 Goiás.

About Author

jornalcometa

jornalcometa

Related Articles

App Jornal Cometa