Invasões em Ceilândia, no DF, ocorrem durante o carnaval e debaixo de chuva – Jornal Cometa

Jornal Cometa

Invasões em Ceilândia, no DF, ocorrem durante o carnaval e debaixo de chuva

Invasões em Ceilândia, no DF, ocorrem durante o carnaval e debaixo de chuva

06 março
07:55 2019

Por Artur Bernardi, TV Globo

Homens trabalham em obra dentro de terreno irregular no P-Sul, em Ceilândia, região administrativa do DF — Foto: TV Globo/Reprodução

Homens trabalham em obra dentro de terreno irregular no P-Sul, em Ceilândia, região administrativa do DF — Foto: TV Globo/Reprodução

Mesmo durante o carnaval e debaixo de chuva, obras irregulares invadem áreas verdes de Ceilândia, região administrativa do Distrito Federal. Na tarde desta terça-feira (5), pelo menos dez homens foram flagrados trabalhando em um terreno ilegal no P-Sul.

Alguns lotes estão com os muros construídos. Arames farpados e estacas de madeira também são usados para demarcar o parcelamento dos lotes.

Estaca usada para demarcar parcelamento de terreno irregular no P-Sul, em Ceilândia, região administrativa do DF — Foto: TV Globo/Reprodução

Estaca usada para demarcar parcelamento de terreno irregular no P-Sul, em Ceilândia, região administrativa do DF — Foto: TV Globo/Reprodução

Até a energia elétrica foi providenciada, mas, como a ocupação é ilegal, a captação do recurso é clandestina – são os chamados “gatos”. Lixo e entulho também ficam espalhados pelo local.

Energia elétrica clandestina em terreno irregular no P-Sul, em Ceilândia, região administrativa do DF — Foto: TV Globo/Reprodução

Energia elétrica clandestina em terreno irregular no P-Sul, em Ceilândia, região administrativa do DF — Foto: TV Globo/Reprodução

Um morador de Ceilândia que preferiu não se identificar pode medo de represálias disse que os postes de energia foram instalados neste domingo (3), de carnaval.

“Eles já venderam todos os lotes que demarcaram, o pessoal comenta de que tinha lotes de R$ 20 a R$ 25 mil.”

Recuar as ‘bordas’

De acordo com o superintendente de obras da Agefis, Marco Antônio Ferreira, o trabalho do órgão consiste em impedir o crescimento de ocupações irregulares e, consequentemente, o aumento territorial das regiões onde estão localizadas.

Neste sentido, o Sol Nascente, que também fica em Ceilândia, está na mira da Agefis, segundo Ferreira. “Nós não vamos deixar que a cidade cresça, porque ela já está no seu limite de projeto.”

O superintendente de obras da Agefis, Marco Antônio Ferreira — Foto: TV Globo/Reprodução

O superintendente de obras da Agefis, Marco Antônio Ferreira — Foto: TV Globo/Reprodução

Ainda segundo Ferreira, desde janeiro, a Agefis fez 32 operações de retirada de invasões no DF, incluindo Lago Norte, Riacho Fundo, Gama e Santa Maria.

“O que está planejado vai ser executado e as bordas dessas cidades serão realmente retiradas”, disse à TV Globo. “Todas as áreas nos preocupam, mas temos que ter cuidado maior com as áreas de proteção, com as reservas.”

“As invasões que estiverem nessas áreas não vão ficar mesmo.”

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

About Author

jornalcometa

jornalcometa

Related Articles

App Jornal Cometa