Inter mantém folga na ponta e se apega a “reforços” para superar jogo “horroroso”

Após atuar sem cinco titulares, Colorado conta com retornos de Edenílson, Sasha e Edenílson para deixar para trás empate em 0 a 0 contra o Boa Esporte, em Varginha

Melhores momentos de Boa Esporte 0 x 0 Internacional pela 30ª rodada da Série B

Melhores momentos de Boa Esporte 0 x 0 Internacional pela 30ª rodada da Série B

A tabela ainda aponta para uma liderança isolada e confortável na Série B, com o acesso mais nítido no horizonte a cada rodada que passa. Mas o Inter não deixa de se ressentir da oscilação de desempenho em 90 minutos de um futebol “horroroso” no empate em 0 a 0 com o Boa Esporte, na última terça-feira, em Varginha, pela 30ª rodada da competição. Mesmo sem ter a ponta ameaçada, o Colorado se mobiliza e se apega ao retorno de peças importantes para retomar as boas atuações na reta final da temporada.

“Vamos trabalhar para fazer melhor no próximo jogo. Temos vários retornos, procurar botar em campo a melhor equipe possível para retomar as atuações e as vitórias” (Guto Ferreira).

Até porque o desfecho da rodada acirrou as projeções do retorno à elite. A equipe até manteve a margem de três pontos ao vice-líder América-MG, mas viu a distância para o quinto colocado, o Vila Nova, cair de 10 para oito pontos.

Inter enfrentou dificuldades contra o Boa Esporte (Foto: Ricardo Duarte / Inter, DVG) Inter enfrentou dificuldades contra o Boa Esporte (Foto: Ricardo Duarte / Inter, DVG)

Inter enfrentou dificuldades contra o Boa Esporte (Foto: Ricardo Duarte / Inter, DVG)

Após o 0 a 0 no Sul de Minas Gerais, os discursos de jogadores, comissão técnica e diretoria estavam afinados com a fala inicial de D’Alessandro. Ainda à beira do campo, o gringo foi sincero ao dizer que o desempenho foi “horroroso”. Mais tarde, o técnico Guto Ferreira e o vice de futebol Roberto Melo atrelaram o rendimento à série de cinco baixas que assolam a formação considerada ideal.

E não foram apenas justificativas da boca para fora. Nesta terça-feira, Edenílson e Eduardo Sasha estavam suspensos, ao passo que Leandro Damião e Rodrigo Dourado se ressentem de problemas musculares – há ainda o caso de Klaus, que se recupera de uma fratura no pulso esquerdo.

O resultado foi uma equipe desentrosada e com o setor de meio-campo, em especial, desmanchado. Do quinteto considerado ideal, apenas D’Alessandro foi remanescente na formação titular, ao atuar ao lado de Charles, Camilo, Jéferson e Nico López. Vale lembrar: William Pottker atuou na referência do ataque, na vaga de Damião, no primeiro tempo.

Inter se ressentiu de desfalques contra o Boa Esporte (Foto: Ricardo Duarte / Inter, DVG) Inter se ressentiu de desfalques contra o Boa Esporte (Foto: Ricardo Duarte / Inter, DVG)

Inter se ressentiu de desfalques contra o Boa Esporte (Foto: Ricardo Duarte / Inter, DVG)

– Não fizemos uma boa partida, pelo contrário. No segundo tempo, conseguimos equilibrar, mas não conseguimos jogar bem. O campeonato é assim. A equipe perdeu jogadores importantes que dão sustentação à equipe, dão muito equilíbrio, que a gente não tem peças para o mesmo tipo de jogo. Foram quatro jogadores muito importantes, o Dourado, o Edenílson, o Damião e o Sasha. Os que entraram… Tinha a falta de entrosamento, de conjunto, isso ficou claro. Não pela falta de qualidade. Pela falta de conjunto – afirma o vice de futebol Roberto Melo.

As baixas afetaram tanto, que levaram Guto a promover estreias e a recorrer a jogadores pouco usuais. Sem Edenílson, o treinador usou Jéferson pela primeira vez. No segundo tempo, Roberson e Carlos deixaram o banco de reservas como opções derradeiras para tentar a vitória, nas vagas de Camilo e Nico López. Ambos estavam há 48 dias sem atuar, desde 30 de agosto, na derrota por 1 a 0 para o Atlético-MG, pela Primeira Liga, com time reserva na Primeira Liga.

– Eu também concordo que a gente ficou abaixo do que vinha jogando. Trocar cinco peças de uma vez só, queria ou não queira, você mexe na estrutura. Tem peças que você não tem reposição próxima. Equipe teve que se moldar e não conseguiu manter o nível que a equipe com todo mundo vinha mantendo – disse Guto.

Edenílson e Sasha voltam; Inter conta com retorno de Damião

Após uma partida sem cinco jogadores, Guto até perdeu Cláudio Winck, pelo terceiro cartão amarelo. Mas contará com ao menos dois retornos para encarar o Criciúma, no próximo sábado: Edenílson e Eduardo Sasha, livres após cumprir suspensão. Ambos terão acréscimos exponenciais no time, pelas características de intensidade para fazer funcionar o 4-1-4-1. Mas o reforço mais esperado é o de Leandro Damião.

Damião é esperado para voltar ao Inter (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Internacional) Damião é esperado para voltar ao Inter (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Internacional)

Damião é esperado para voltar ao Inter (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Internacional)

O centroavante foi baixa nesta terça devido a um desconforto muscular, manifestado ainda na segunda-feira passada, na vitória por 1 a 0 sobre o Brasil de Pelotas. Sua ausência foi citada, em especial, pelo treinador, por seu estilo de jogo combativo e de força física para ser uma referência que segure a defesa adversária – algo tentado sem sucesso por Pottker e Nico. Após a partida, Guto disse que espera sua recuperação.

– Esse é o campeonato. Volta uns, saem outros. O importante é ter o melhor conjunto possível e buscar somar pontos e vencer. Quanto mais pontos, melhor. A tendência é (o Damião) voltar. Vamos chegar lá e conferir in loco em que condições ele está. Ele é um jogador que segura a zaga. Faz pivô. Na marcação pressão, existe a luta e a consciência para segurar a bola e desafogar o meio. E ele está fazendo gol – ressalta o treinador.

Após a partida, o Inter retorna de Varginha em voo fretado, já na manhã desta quarta-feira, quando retoma os treinamentos no CT do Parque Gigante. A equipe volta a campo no próximo sábado, às 16h30, quando encara o Criciúma no Heriberto Hülse, pela 31ª rodada da competição.

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter