Fitas para medir glicose estão em falta na rede pública do DF há quatro semanas – Jornal Cometa

Jornal Cometa

Fitas para medir glicose estão em falta na rede pública do DF há quatro semanas

Fitas para medir glicose estão em falta na rede pública do DF há quatro semanas

28 abril
10:00 2018

Tiras descartáveis são usadas para controle de diabetes. Secretaria de Saúde diz preparar compra emergencial, mas não dá prazo para reabastecimento.

Por G1 DF

Modelo de tira usada para medir nível de glicose no sangue (Foto: PMI/Divulgação) Modelo de tira usada para medir nível de glicose no sangue (Foto: PMI/Divulgação)

Modelo de tira usada para medir nível de glicose no sangue (Foto: PMI/Divulgação)

Fitas medidoras de glicose, usadas no controle da diabetes, estão em falta na rede pública do Distrito Federal há quase um mês. Nesta sexta-feira (27), a Secretaria de Saúde admitiu o problema – e informou que não há prazo para restabelecimento dos estoques (veja detalhes abaixo).

Com a falta das tiras, diabéticos de todo o DF enfrentam dificuldade para monitorar os níveis de açúcar no sangue. Só nesta sexta, o G1 ouviu relatos de problemas no Gama, em Ceilândia, em Santa Maria e no Plano Piloto.

As fitas são descartáveis, e absorvem o sangue para que o aparelho medidor possa fazer a análise. Uma pessoa com diabetes mede a glicose entre 3 e 5 vezes por dia. Sem esse dado, o paciente fica sujeito a crises de hipoglicemia (quando o nível de glicose cai demais) e hiperglicemia (quando sobe demais).

Sem recursos

O aposentado Eliel Saboia disse que, há quase um mês, não encontra as fitas em Santa Maria. As caixas que ele já tinha recebido acabaram pouco tempo depois e, desde então, ele parou de fazer o acompanhamento. Por mês, segundo ele, a compra das fitas na rede privada custaria cerca de R$ 300.

No início do ano, a glicemia do aposentado chegou a variar entre 40 mg/dL e 600mg/dL. O valor de referência, considerado normal na média da população, é de 70 mg/dL a 105 mg/dL. Mesmo para diabéticos, o ideal é que a medição não ultrapasse os 125 mg/dL.

Teste de glicemia para pacientes com diabetes (Foto: Tesa Robbins/Pixabay) Teste de glicemia para pacientes com diabetes (Foto: Tesa Robbins/Pixabay)

Teste de glicemia para pacientes com diabetes (Foto: Tesa Robbins/Pixabay)

“Eu não tenho condições de comprar, estou tomando insulina às cegas. Já estou me tremendo todo, e não sei se é porque a glicemia tá baixa. Não tenho como medir”.

Saboia conta que, quando faltavam caixas em um posto, ele procurava em outras unidades de distribuição e acabava encontrando as fitas. Depois da implementação da Estratégia Saúde da Família, o aposentado diz que foi impedido de fazer essa peregrinação.

“Às vezes, eu conseguia no Gama, ou falava com pessoas que eu conhecia em Sobradinho e dava a minha receita. Agora, eles não autorizam mais”, diz.

O que diz o governo?

Em nota ao G1, na tarde desta sexta, a Secretaria de Saúde informou que o estoque de tiras glicêmicas “para pacientes da Atenção Primária está zerado na rede, desde o início deste mês”.

Segundo o comunicado, o processo regular de compra está em andamento. Como a aquisição é demorada, o governo também abriu um processo de compra emergencial – que é mais rápido mas, na maioria das vezes, custa bem mais para os cofres públicos.

Mesmo para esta compra emergencial, a pasta não informou prazo. Com isso, não há como dizer quando as caixas de fitas medidoras voltarão a ser oferecidas na rede pública.

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

About Author

jornalcometa

jornalcometa

Related Articles