Ex-senador Hélio José é nomeado para cargo na presidência do Senado

Em 2018, ex-parlamentar do DF tentou uma vaga na Câmara pelo PROS, mas não foi eleito. Procurado, ele disse que vai auxiliar Davi Alcolumbre (DEM-AP) ‘na interlocução’ com senadores.

O ex-senador Hélio José (PROS-DF), em imagem de arquivo — Foto: Beto Barata/Agência Senado

O ex-senador Hélio José (PROS-DF), em imagem de arquivo — Foto: Beto Barata/Agência Senado

O ex-senador Hélio José (PROS-DF) foi nomeado para o cargo de assistente parlamentar no gabinete da presidência do Senado, exercida por Davi Alcolumbre (DEM-AP). A nomeação foi publicada no “Diário Oficial da União” desta segunda-feira (20) e confirmada pela assessoria do Senado.
Hélio José foi senador de 2015 a 2019 e assumiu uma cadeira na Casa quando Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) tomou posse como governador do Distrito Federal.



O ex-suplente de Rollemberg tentou, em 2018, uma vaga na Câmara dos Deputados, mas não se elegeu. Ele recebeu 16.529 votos.
Procurado pelo G1, Hélio José afirmou que vai auxiliar na interlocução de Davi Alcolumbre. Ele disse que deve se reunir com o presidente do Senado nos próximos dias para conversar sobre a nova função.
“Vou dar uma colaborada lá com o Davi, que está tentando fazer uma política de reaproximação com todos os senadores. Então, eu vou lá dar uma ajudada a ele, passar um período”, disse.


“É uma posição de interlocução. Tem muita interlocução a ser feita. Eu vou sentar com o Davi amanhã ou depois e ele vai definir no que que ele quer que eu ajude mais”, acrescentou.
Hélio José exercerá o cargo em comissão de assistente parlamentar intermediário, AP-10, cuja remuneração básica é de R$ 5,1 mil. O valor, no entanto, pode aumentar com gratificações.

De acordo com informações do portal do Senado, um servidor na mesma função recebeu, em abril deste ano, R$ 10,9 mil após os descontos obrigatórios.

Atuação

Formado em Engenharia Elétrica, Hélio José afirmou, em uma rede social, ser servidor público do Ministério do Planejamento, pasta que foi integrada, no governo Jair Bolsonaro, ao Ministério da Economia.

No Senado, o parlamentar foi escolhido em 2017 presidente da Comissão Senado do Futuro. Contrário à reforma da Previdência, Hélio José foi relator de uma CPI sobre o tema. No relatório, afirmou que não há déficit no sistema previdenciário.

‘Melancia’

Em 2016, foi divulgado, na internet, um áudio no qual o então senador Hélio José afirmou que colocava quem ele quisesse para trabalhar na Secretaria de Patrimônio da União (SPU) no Distrito Federal.

Na gravação, Hélio José defendia a indicação de um ex-assessor para o cargo de superintendente do órgão.

“Isso aqui é nosso. Isso aqui eu ponho quem eu quiser, a melancia que eu quiser aqui, eu vou colocar”, disse o senador em um trecho da gravação.

Depois que o áudio foi divulgado, Hélio José disse que o termo “melancia” era o apelido “carinhoso” que deu ao ex-assessor.

Em 2017, Hélio José afirmou ter sofrido retaliação por parte do governo Michel Temer após ter votado contra a reforma trabalhista em uma comissão do Senado.

Segundo ele, após a votação, duas pessoas indicadas por ele a cargos no Executivo foram demitidas pela Casa Civil.

Por Gustavo Garcia, G1 — Brasília

20/05/2019 18h58 Atualizado há 14 horas