Em nova fase de operação contra ‘máfia dos concursos’, polícia do DF apura fraude em provas para STJ

Por Gabriel Luiz e Pedro Borges, G1 DF e TV Globo

Fachada do Superior Tribunal de Justiça, em Brasília, durante fim do dia — Foto: STJ/Divulgação

Fachada do Superior Tribunal de Justiça, em Brasília, durante fim do dia — Foto: STJ/Divulgação

A Polícia Civil do Distrito Federal faz nesta quarta-feira (19) uma operação que apura fraudes no concurso do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Ao todo, são cumpridos 13 mandados de busca e apreensão em endereços de Brasília.

Segundo as investigações, há indícios de compra de vaga. Esta é a quarta fase da operação Panoptes, que busca desarticular uma chamada “Máfia dos concursos”.

Até a última atualização desta reportagem, a polícia não tinha informado quem eram os alvos, o teor das supostas fraudes e se havia buscas na sede do STJ. O G1 aguarda posicionamento do STJ sobre a operação.

O concurso do STJ oferece vagas e formação de cadastro de reserva nos cargos de analista e técnico judiciários. A banca do certame é o Cebraspe – antigo Cespe.

Para nível superior, foram abertas oportunidades para graduados em biblioteconomia, fisioterapia, odontologia, psicologia, direito e para qualquer área de formação. O salário é de R$ 11.006,82.

Já para nível médio, as oportunidades foram distribuídas entre as áreas de atividade administrativa e de apoio especializado. Todas as fases do concurso foram realizadas em Brasília. A remuneração é de R$ 6.708,53.

Veja mais notícias sobre a região no G1 DF.