Jornal Cometa

Cármen Lúcia foi alertada de que havia explosivos em presídio de Aparecida de Goiânia

 Breaking News
  • Vistoria do Sistema Produtor Corumbá IV O prefeito Pábio Mossoró acompanhou hoje a vistoria do Sistema Produtor Corumbá IV. A obra que já entra em fase de testes e pré-operação em agosto deste ano vai atender...
  • Cármen Lúcia foi alertada de que havia explosivos em presídio de Aparecida de Goiânia pesar da declaração do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), que rebateu a informação sobre insegurança no presídio de Aparecida de Goiânia, a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal...
  • Empresários de Valparaíso Reunimos hoje mais de 300 empresários de Valparaíso em um encontro para aproximação e união de potenciais entre a prefeitura e o segmento comercial. Quero agradecer a todos que aceitaram...
  • Educação em Valparaíso Agora a noite em Brasília, acompanhado da Secretária de Educação Rudilene Nobre, fui recebido pelo diretor de obras do FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, Rodrigo Rossi. A...

Cármen Lúcia foi alertada de que havia explosivos em presídio de Aparecida de Goiânia

Cármen Lúcia foi alertada de que havia explosivos em presídio de Aparecida de Goiânia
08 janeiro
18:58 2018

pesar da declaração do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), que rebateu a informação sobre insegurança no presídio de Aparecida de Goiânia, a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi desaconselhada de visitar o local por vários interlocutores.

A ministra chegou a viajar para a capital goiana e a se reunir com autoridades do estado nesta segunda-feira (8), mas não foi ao presídio . No local, ocorreram três rebeliões e nove mortes na semana passada.

A ministra, que também é presidente do CNJ, foi alertada inclusive de que havia explosivos dentro do complexo penitenciário, e que presos teriam armas de fogo e até granada. Diante das novas informações, Cármen Lúcia pediu uma nova inspeção no local.

A afirmação de Perillo de que a ministra teria absoluta segurança para fazer a visita foi recebida como uma espécie de “bravata” por auxiliares do STF. Isso porque desembargadores, juízes e integrantes da OAB e do Ministério Público fizeram alertas preocupantes da situação interna do presídio.

Essa não é a primeira vez que Cármen Lúcia não consegue visitar um presídio. Em 2016, quando visitou o Rio Grande do Norte, a ministra foi alertada pelas autoridades locais que não seria possível garantir a segurança dela dentro do presídio de Alcaçuz, pois havia até mesmo campo minado. Meses depois, houve rebelião com o massacre de vários presos no local.

Em conversa com o Blog no final da tarde, o governador Marconi Perillo disse que em nenhum momento a ministra Cármen Lúcia pediu para visitar o complexo penitenciário.

About Author

jornalcometa

jornalcometa

Related Articles

App Jornal Cometa

Tópicos