Após arquivar todos os processos em 2017, Conselho de Ética da Câmara começará 2018 com caso Lúcio Vieira Lima – Jornal Cometa

Jornal Cometa

Após arquivar todos os processos em 2017, Conselho de Ética da Câmara começará 2018 com caso Lúcio Vieira Lima

Após arquivar todos os processos em 2017, Conselho de Ética da Câmara começará 2018 com caso Lúcio Vieira Lima

26 dezembro
09:47 2017

Órgão recebeu 5 representações contra deputados durante o ano e não puniu ninguém. Rede e PSOL pedem cassação de Vieira Lima por caso de malas com R$ 51 milhões. Defesa contesta acusações.

Conselho de Ética arquiva processos para investigar deputado Wladimir Costa (SD-PA)

Conselho de Ética arquiva processos para investigar deputado Wladimir Costa (SD-PA)

Arquivamentos

Os casos mais emblemáticos de arquivamento deste ano foram os dos dois processos aos quais respondeu o deputado Wladimir Costa (SD-PA).

Em uma das representações, ele foi acusado pelo PT de divulgar fotos íntimas de uma filha da deputada Maria do Rosário (RS). “O Conselho de Ética da Câmara é uma instância hoje viciada pelo corporativismo parlamentar. Ele não analisa os fatos. É um conselho em que falta ética. Há uma blindagem dos membros do governo”, afirmou a deputada.

Segundo integrantes do Conselho, a “blindagem” ficou mais clara no segundo processo contra Wladimir Costa. Ele era acusado pelo PSB de assediar sexualmente uma jornalista. O relator Laerte Bessa (PR-DF) havia recomendado o prosseguimento do caso, mas depois mudou o parecer, favorável ao arquivamento.

Nesse episódio, deputados oposicionistas disseram que o relator recebeu uma ligação do Palácio do Planalto para que mudasse de posição e recomendasse o arquivamento. Segundo Bessa, dizer que isso ocorreu é um ato “covarde”.

“Admissibilidade não quer dizer que a pessoa já está condenada. Eu admiti para que se fizesse um estudo melhor. Eu me antecipei e ouvi as pessoas. Todas as que estavam presentes me falaram que não foi nada demais”, afirmou o deputado.

Wladimir Costa é um dos principais defensores de Michel Temer na Câmara. O deputado se tornou conhecido após fazer uma tatuagem temporária com a inscrição “Temer” e uma bandeira do Brasil.

Deputado que fez tatuagem temporária em homenagem a Temer foi alvo de duas representações no Conselho de Ética; ações foram arquivadas (Foto: Reprodução/Facebook) Deputado que fez tatuagem temporária em homenagem a Temer foi alvo de duas representações no Conselho de Ética; ações foram arquivadas (Foto: Reprodução/Facebook)

Deputado que fez tatuagem temporária em homenagem a Temer foi alvo de duas representações no Conselho de Ética; ações foram arquivadas (Foto: Reprodução/Facebook)

About Author

jornalcometa

jornalcometa

Related Articles