À espera de 2ª votação na Câmara, projeto que obriga instalação de ar-condicionado em ônibus agrada população em Goiânia – Jornal Cometa

Jornal Cometa

À espera de 2ª votação na Câmara, projeto que obriga instalação de ar-condicionado em ônibus agrada população em Goiânia

À espera de 2ª votação na Câmara, projeto que obriga instalação de ar-condicionado em ônibus agrada população em Goiânia

09 abril
10:27 2019

Por Sílvio Túlio, G1 GO

Projeto de lei que obriga colocação de ar-condicionado em ônibus agrada população de Goiânia  — Foto: Sílvio Túlio/G1

Projeto de lei que obriga colocação de ar-condicionado em ônibus agrada população de Goiânia — Foto: Sílvio Túlio/G1

À espera da 2ª votação na Câmara de Goiânia, o projeto de lei que determina a instalação de aparelhos de ar-condicionado em todos os ônibus do transporte coletivo causa grande expectativa por quem depende do serviço. Nas ruas, os passageiros estão animados com possibilidade de amenizar o forte calor típico da capital e melhorar as condições dos veículos, alvo de inúmeras queixas por falta de estrutura e superlotação.

O projeto, de autoria da vereadora Tatiana Lemos (PC do B), já foi aprovado em 1º votação na última terça-feira (3) e tramita na Comissão de Habitação, que deve dar um parecer ainda nesta semana. Se o presidente da comissão, vereador Zander Fábio (Patriotas) pedir diligências, o prazo para dar uma posição aumenta para 15 dias.

Em seguida, o projeto precisa de nova aprovação em plenário para ir à análise do prefeito Iris Rezende (MDB), que pode sancionar ou vetar a lei. Em nota, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Goiânia informou que “não pode se posicionar sobre o projeto porque a matéria ainda está em discussão na Câmara Municipal”.

Instalação dos aparelhos

O texto prevê que os aparelhos sejam instalados pelas próprias empresas. É estipulado um prazo de adequação: 1 ano para metade da frota e 2 anos para todos os ônibus.

A lei, se sancionada, começa a vigora 60 dias depois. Em caso de descumprimento, a empresa fica sujeita a penas como advertência, multa, proibição de participar de licitação e, em último caso, perda da concessão.

Charles pega três ônibus por dia e vê projeto com bons olhos: 'Seria legal' — Foto: Sílvio Túlio/G1

Charles pega três ônibus por dia e vê projeto com bons olhos: ‘Seria legal’ — Foto: Sílvio Túlio/G1

Em sua justificativa, a parlamentar afirma que o projeto de lei tem o intuito de “dar comodidade aos usuários e servirá de atrativo para que se utilize o transporte coletivo”.

Além disso, ela ressalta que os passageiros sofrem com a temperatura alta da cidade e que, nesse sentido, “o ar-condicionado deixa de ser um artigo de luxo e passa a ser uma necessidade”.

População aprova iniciativa

Nas ruas, quem depende diariamente do transporte coletivo elogia a ideia e espera que ela entre em prática o quanto antes. O auxiliar de manutenção Charles Alves de Amorim pega ao menos três conduções por dia e está animado com a proposta.

“Seria legal, muito bom. Os ônibus estão muito lotados e quebram demais. Se tiver essa melhora, justificaria até aumentar o preço da tarifa. A gente não se importa em pagar um pouco mais se tiver conforto”, destaca.

A manicure Josenir Ribeiro, grávida de 7 meses, também vê com bons olhos a proposta. Mas pede que ela venha junto com a conscientização.

“Se colocar, será muito bom porque o ônibus é um forno. A qualidade é péssima. É ruim para a população em geral e ainda mais para grávidas e idosos”, opina.

A diarista Clarisse da Luz Lima pontua que a medida ajudaria não só nos dias de calor. “Quando chove, é preciso fechar as janelas e o ônibus fica abafado. O ar-condicionado seria ideal. Os ônibus hoje estão muito quentes e cheios”, destaca.

Projeto deve entrar em segunda votação ainda nesta semana — Foto: Vanessa Chaves/G1

Projeto deve entrar em segunda votação ainda nesta semana — Foto: Vanessa Chaves/G1

About Author

jornalcometa

jornalcometa

Related Articles